Governo do Ceará lança 1º edital do Estado com aplicação de Linguagem Simples, Direito Visual e Design Editorial

Usar uma linguagem mais simples, acessível e inclusiva aproxima o governo da população e garante o acesso às informações. Com base nisso, o ÍRIS | Laboratório de Inovação e Dados do Governo do Ceará, em cooperação com a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult Ceará) e parceria técnica da Associação Ceará Design, simplificou o primeiro edital no estado com aplicação de Linguagem Simples, Direito Visual e Design Editorial. Lançado nesta quarta-feira (16/02), o Edital Ceará da Cidadania e Diversidade Cultural traz uma estrutura textual simples, dinâmica, distribuída em tópicos e, entre outros aspectos, com uso de cores e elementos que facilitam a identificação dos capítulos do documento.

A abertura de um edital é, por si só, um movimento de inclusão, dando oportunidade aos mais diversos agentes artísticos. No entanto, a escrita muitas vezes inacessível diminui o alcance dessa importante ferramenta pública. “A cidadania cultural é uma dimensão vital nas políticas públicas de cultura e parte da premissa da diversidade. Esses são eixos estratégicos nas políticas da Secult e isso se traduz em ações e investimentos que somam, ao todo, mais de R$ 6,0 milhões. Trata-se, portanto, de um pensamento de gestão e posicionamento político do Ceará no cenário nacional, e foi nessa pegada que realizamos a parceria que resultou na democratização do acesso aos direitos culturais”, enfatiza Fabiano Piúba, secretário da Cultura do Ceará.

A coordenadora-geral do ÍRIS, Jessika Moreira, ressalta que o resultado é fruto da atuação em cooperação. “Temos agora uma estrutura de edital mais acessível e inclusiva, que dá mais chance das pessoas participarem. Isso reflete o comprometimento da gestão e das equipes do Governo do Estado com a população”. Ela destaca ainda que esse é um trabalho de melhoria contínua: “estamos sempre pensando em como melhorar nossas entregas, a partir desse primeiro edital iremos evoluir e agregar novos conhecimentos para tornar nossas políticas e serviços no Ceará cada vez mais mais acessíveis”.

 

Já a secretária executiva da Cultura do Estado do Ceará, Luisa Cela, reforça que esse lançamento representa avanço no fortalecimento das políticas públicas de cultura no Ceará. “O edital simplificado nos emociona: é uma verdadeira tradução do documento original. A parceria nos presenteia com um novo modelo de edital, capaz de comunicar de forma mais clara e de fácil compreensão, o que nos possibilitará comunicar e dialogar com públicos diversos”, celebra.

No Íris, o trabalho foi realizado pelas equipes dos Programas Linguagem Simples Ceará e Inovação Jurídica, que propõem uma nova cultura governamental: mais compreensível, acessível e inclusiva e uma nova cultura de inovação no Direito. A parceria começou com a sensibilização de equipes da Secult sobre as técnicas trabalhadas pelo Íris, seguindo para o grupo de trabalho de simplificação do edital.

 

Conforme pontua a coordenadora do Programa Linguagem Simples Ceará, Isabel Ferreira Lima, esse projeto abriu espaço para uma cooperação e chega como uma oportunidade. “A gente começa com um “Olá”, convidando o cidadão para conhecer o edital. Apresentamos uma escrita mais amigável, mais condutiva, pensada para o formato on-line, focada na compreensão, a partir do design da informação, das diretrizes de Linguagem Simples e da revisão textual. Além disso, aplicamos as expertises de experiência do usuário, como usabilidade e acessibilidade, simplificando um documento de modo a desonerar as equipes da Secult no esclarecimento de dúvidas”.

Além da simplificação dos textos, a definição da linguagem gráfica e da composição visual do edital tem um importante papel no resultado final. A definição de um fluxo esquemático, que guia o leitor para uma visão geral simplificada do processo, o uso de recursos visuais de contrastes, recuos e pontos destacados, além da própria escolha da tipografia e das cores, tudo visando reforçar as principais informações do material. As cores não são só uma escolha estética, mas uma escolha informacional. Além de transformar o documento em algo esteticamente mais agradável, tem uma importância gigantesca na navegação. Além disso, a tipografia ao mesmo tempo que é amigável no seu desenho, tem uma legibilidade interessante na leitura da tela.

Allysson dos Reis, presidente da Associação Ceará Design, instituição que conduziu o trabalho visual do edital, diz que a instituição busca um design capaz de gerar impacto positivo e transformar a vida das pessoas. “Na medida que facilitamos o acesso à informação, criamos um valor incalculável para o nosso público. Além de tratar de maneira mais adequada e empática as relações entre governo e cidadão. Estamos em uma era onde a clareza é um dos ativos mais importantes em nossas relações, sejam elas pessoais ou institucionais. E a combinação entre a Linguagem Simples, o Direito Visual e o Design entregam isso. O bom design é também um design simples. Usamos inúmeras técnicas do design editorial, gráfico e de interação para chegarmos nesse resultado final”, reforça.

Acesse o edital: bit.ly/editalcidadania.