Íris realiza oficina junto ao Consórcio Nordeste com debate sobre alfabetização em dados e aplicação de ferramentas estratégicas

O Íris | Laboratório de Inovação e Dados do Governo do Ceará realizou a Oficina de Trabalho “Construindo o Observatório do Nordeste”. O evento foi realizado com a proposta de contribuir na implementação do Observatório, que deve ampliar a cooperação entre os associados do Consórcio Nordeste, fortalecer a fusão de capacidades dos Estados e promover a inovação.

Para abrir a programação, o secretário executivo da Casa Civil, Flávio Jucá, reforçou a importância de qualificar as informações, frisando que a criação de um observatório tem o indicativo de: “além de coletar as informações, qualificá-las para que elas impactem em processos decisórios”, ressaltou.

O tema Alfabetização em Dados está entre os debatidos durante a oficina. O professor José Macêdo, cientista-chefe de Dados e Transformação Digital do Governo do Ceará reforçou a importância de entregar serviços públicos pautados nas reais necessidades do cidadão. “A gente deve entender as pessoas, as suas capacidades e particularidades. Através do uso de tecnologias que nos permitam processar essas informações, de maneira escalável, os gestores públicos vão poder trabalhar de maneira agregada, com uma visão ampla sobre os problemas públicos, para assim entregar serviços personalizados”, destacou.

Para exemplificar o tema, foram apresentadas as plataformas Big Data Social, que concentra dados da Proteção Social do Ceará, oferecendo uma visão integrada e transparente da área a partir da coleta e análise de dados integrados; e CZRM, plataforma de gestão de relacionamento com o cidadão.

Os pesquisadores em Experiência do Usuário do ÍRIS, Georgia Cruz e Alysson Diniz, destacaram para os participantes a importância de entender os dados, bem como sua jornada, e como isso impacta nos resultados e na mudança de cultura da organização. Eles também apresentaram o tema Design Participativo, processo que entende as pessoas como parte dos processos e inclui os usuários nos estágios iniciais do design, permitindo que ele seja mais aberto em relação à experiência do usuário.

Na parte prática da oficina, foi aplicado o Canvas de Dados, ferramenta desenvolvida pela Social Good Brasil para orientar a navegação por meio do pensamento analítico e estratégico. O Canvas de Dados aborda aspectos como: objetivos e resultados, perguntas estratégicas, dados necessários, produtos de dados e engajamento.

Para Thiago Campos, subsecretário de Programas do Consórcio Nordeste, a oficina atendeu plenamente a expectativa. “O que foi feito durante a oficina é parte do processo de abrir nossa mente, de permitir e estimular reflexões sobre o processo de construir o Laboratório e de estruturar próximas etapas. A oficina foi uma oportunidade ímpar de compartilhar o que a gente tem de acúmulo, para que a gente possa estruturar o nosso processo de implementação do Observatório de maneira racional”, avaliou Thiago.

“Juntamos vários conhecimentos, várias inteligências, de vários estados, para construir essa discussão do modelo da plataforma do Observatório Nordeste. Saímos daqui com uma visão compartilhada do que a gente quer. A gente sai da oficina com a convicção de que o Nordeste junto consegue fazer políticas públicas mais efetivas para a população”, é o que destaca o procurador geral do Estado da Bahia, Ailton Cardozo, um dos participantes da oficina.

Mais sobre a criação do Observatório do Nordeste

A proposta de criação do Observatório do Nordeste está alinhada à finalidade de articular estratégias que permitam a realização de ações conjuntas entre os estados da região e que promovam o compartilhamento de conhecimento, ações, saberes, boas práticas e sistemas.

Conforme explica o chefe de gabinete do Consórcio, Glauber Piva, a construção do Observatório é fundamental para que a região se conheça melhor, para que possa ser criada uma rede de conhecimentos potente entre os estados. “A decisão de criar o Observatório foi tomada em novembro de 2021, a partir de uma regulação em assembleia geral. A partir daí, começamos a definir seu regulamento, sua estrutura de governança e, agora, chegamos à fase de definição de projetos. O primeiro deles é o de implementação do Observatório, que passa pela criação de uma plataforma, pela definição da tecnologia e de como ela vai trabalhar os dados. A oficina é parte desse processo, sendo um passo importante para que ele, de fato, se concretize”.

Sobre o Consórcio Nordeste

O Consórcio Nordeste é uma iniciativa para atrair investimentos e alavancar projetos de forma integrada, constituindo-se, ao mesmo tempo, como uma ferramenta de gestão criada e à disposição de seus consorciados, e como um articulador de pactos de governança.

Sobre o Íris

O Laboratório de Inovação e Dados do Governo do Ceará é responsável por disseminar uma nova cultura de inovação no Estado centrada e conduzida na cidadã e no cidadão, de forma inclusiva e acessível, sempre em busca de desenvolver melhores serviços e políticas públicas.